EPC - EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO COLETIVO

EPC - EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO COLETIVO

 

Equipamentos de Proteção Coletiva (EPC)

  Como o próprio nome sugere, os equipamentos de proteção coletiva (EPC) dizem respeito ao coletivo, devendo proteger todos os trabalhadores expostos a determinado risco. Como exemplo podemos citar o enclausuramento acústico de fontes de ruído, a ventilação dos locais de trabalho, a proteção de partes móveis de máquinas e equipamentos, a sinalização de segurança, a cabine de segurança biológica, capelas químicas, cabine para manipulação de radioisótopos, extintores de incêndio, dentre outros.


 

· Cabine para histologia

    A cabine deverá ser construída em aço inox, com exaustão por duto. É específica para trabalhos histológicos.

· Capela Química

    A cabine deverá ser construída de forma aerodinâmica, de maneira que o fluxo de ar ambiental não cause turbulências e correntes, reduzindo, assim, o perigo de inalação e a contaminação do operador e do ambiente.

· Manta ou cobertor

    É utilizado para abafar ou envolver a vítima de incêndio, devendo ser confeccionado em lã ou algodão grosso, não sendo admitido tecidos com fibras sintéticas.

· Vaso de areia ou balde de areia

    É utilizado sobre o derramamento de álcalis para neutralizá-lo.

· Mangueira de incêndio

    O modelo padrão, comprimento e localização são fornecidos pelas normas do Corpo de Bombeiros.

· Sprinkle

    É o sistema de segurança que, através da elevação de temperatura, produz fortes borrifos de água no ambiente (borrifador de teto).

· Alça de transferência descartável

    São alças de material plástico estéril, descartáveis após o uso. Apresentam a vantagem de dispensar a flambagem.

· Microincinerador de alça de transferência metálica

    São aquecidos a gás ou eletricidade. Possuem anteparos de cerâmica ou de vidro de silicato de boro para reduzir, ao mínimo possível, a dispersão de aerossóis durante a flambagem das alças de transferência.

· Luz Ultra Violeta

    São lâmpadas germicidas, cujo comprimento da onda eficaz é de 240 nm. Seu uso em cabine de segurança biológica não deve exceder a 15 minutos. O tempo médio de uso é de 3000 horas.

· Dispositivos de pipetagem

    São os dispositivos de sucção para pipetas. Ex.: pipetador automático, pêra de borracha e outros.

· Proteção do sistema de vácuo

    São filtros do tipo cartucho, que impedem a passagem de aerossóis. Também é usado o frasco de transbordamento, que contém desinfetante.

· Contenção para homogeneizador, agitador, ultra-som, etc

    Devem ser cobertos com anteparo de material autoclavável e sempre abertos dentro das cabines de segurança biológica.

· Anteparo para microscópio de imunofluorescência

    É o dispositivo acoplado ao microscópio, que impede a passagem de luz ultravioleta, que poderá causar danos aos olhos, até mesmo levando o operador à cegueira.

· Kit para limpeza em caso de derramamento biológico, químico ou radioativo

    É composto de traje de proteção, luvas, máscara, máscara contra gases, óculos ou protetor facial, bota de borracha, touca, pás para recolhimento do material, pinça para estilhaços de vidro, panos de esfregão e papel toalha para o chão, baldes, soda cáustica ou bicarbonato de sódio para neutralizar ácidos, areia seca para cobrir álcalis, detergente não inflamável, vaporizador de formaldeído, desinfetantes e sacos plásticos.

· Kit de primeiros socorros

    É composto de material usualmente indicado, inclusive antídoto universal contra cianureto e outros antídotos especiais.

 

 Bookmark and Share
Leia mais: http://dicasparasites.webnode.com.br/dicas-webnode/add-um-icone-favicon-/ Crie seu site grátis: http://www.webnode.com.br